sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

LANÇADO : COMPÊNDIO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS / JONAS GOMES DA SILVA

Existem ótimos livros cujos autores não conhecemos e portanto não podemos relacioná-los com a obra. Mas , no inverso, há autores que conhecemos , que nos impressionam e que , antes de ler o livro que escreveram, sabemos que não pode deixar de ser um livro relevante.
A vida do Prof. Dr.  Jonas Gomes da Silva, ela própria digna de um grande livro, nos permite antecipar , mesmo ainda sem ler , que nenhum livro seria escrito por ele sem ter relevância social.
Sua vida é daquelas cuja realidade ultrapassa a ficção. 
Há provável verossimilhança  em um picolezeiro, filho dos estratos proletários, largar sua terra natal na periferia do terceiro mundo e ser aprovado para um Curso de Doutorado no Japão? 
Há provável verossimilhança em um ex-picolezeiro economizar tudo que pode no Japão e enviar para sua família e ainda assim conseguir manter-se e concluir o curso de Doutorado?
Há verossimilhança em um ex-picolezeiro retornar Doutor do Japão e logo tornar-se Professor da Universidade Federal de sua terra por concurso público?
Não fui ao lançamento e ainda não li o livro por absoluto impedimento da rotina cotidiana.
Mas alguém tem dúvida do conteúdo da obra e do preciosismo da sua elaboração?
Leia, então...
Quer saber como comprar?
Acesse o link https://www.agbook.com.br/ 







quarta-feira, 6 de setembro de 2017

FLORES BRANCAS: O LÍRICO NO TRÁGICO!



Meu amigo virtual Antonio Torres Román nasceu no Chile, foi criado em Buenos Aires e atualmente mora nos Estados Unidos. Sua idade pode ser calculada pelo tempo que permanece casado. São 58 anos com o mesmo amor. A relação dos povos ameríndios com  a sociedade envolvente sempre esteve entre seus temas preferidos, sobretudo na sua prosa de ficção.

O poemário "flores brancas", porém,  foi escrito em Buenos Aires no ano 1978 e, por isto mesmo,  seu tema é o lírico dentro do trágico. Triste época, segundo ele. “ Cuja única recordação fere as mais profundas fibras do coração; mas dentro daquela turbulência na qual vivia a nação Argentina, não foi motivo de Impedimento para que a fonte da poesia, deixe de surgir através dessa escuridão assustadora, como uma flor branca, pura, cheia de amor”. 
FLORES BRANCAS: O LÍRICO NO TRÁGICO!

segunda-feira, 10 de julho de 2017

DJUENA _ A ONÇA QUE PULA NO RIO




Djuena por Djuena: 

" Sou cantora do povo Tikuna, artista da Amazônia, da região do Alto Solimões. Filha de Nutchametükü e Tochimaüna. Nasci em Umariaçu, onde o rio “banzeira as fronteiras” do Brasil, Peru e Colômbia. Meu nome significa “a onça que pula no rio”, canto a cultura do meu povo mantendo viva a nossa história.
Dia 23 de agosto, mês em que se comemora internacionalmente a luta dos povos indígenas, vamos celebrar o lançamento do nosso CD, uma conquista de todos que acreditam no poder dos povos da floresta, na força dos encantados, no grande espírito que protege o mundo .
Com quase dez anos de cantoria, tenho construído uma carreira pautada no compromisso de divulgar a causa dos povos indígenas. Agora estou finalizando o meu primeiro disco que será lançado no palco do Teatro Amazonas. Terá a participação de músicos indígenas de diversas etnias da Amazônia, entre outros artistas ligados à causa indígena, como a cantora e pesquisadora Marlui Miranda.
Queremos cantar o canto dos ancestrais e contamos com seu apoio meu parente!
Contribua com a nossa campanha de financiamento coletivo. Acesse o site e saiba como participar!
Venham fazer parte deste ritual de celebração! 

Moëntchi Patchaüenegü.
Obrigada meus amigos.